28 de outubro de 2008

Bela Alegria

Mostra-me pela última vez o teu olhar!
-Tens uma neblina na carne, disse-te na véspera dos silêncios interditos.

O osso que contempla a permanência dos esgotos é uma fronte nauseabunda
de saudade, sexo e bonomia selvagem. As tripas da memória esfumaram-se
no caldo da vida, regadas com verdes andanças nos pátios em socalcos dispostos.

Quero uma fábrica no teu nariz de desejo!
Hoje sou rei e senhor dos teus pensamentos.
Só te resta esperar pela amnésia dos sentidos.
Embarcas na metalurgia dos sonhos inquietos.

A pátria enxuta de palavras omniscientes está à espera do regresso à margem da alegria.
Resta-nos um Belo poeta num país onde não acontece nada! Agora, perfuro a solidão em
esperanças de curvas apertadas na via infinita do teu olhar sufragado de melancolia.

1 Comments:

Blogger Afectos usou da palavra

un, deux, trois encore du nouveau.se possible!

29 outubro, 2008 22:11  

Enviar um comentário

<< Home