16 de julho de 2007

A Sífilis

O Concílio! Reunidos na Sala do decoro
Os cardeais anunciaram o amor.
Um frugal repasto de corpos nus
e orgias incomensuráveis.
O Papa, pai de muitos filhos
de seu nome Alexandre VI,
teve imensas amantes.

A sífilis aparece de imediato!
Isto na era do Senhor de 1495.
A culpa é dos homens com seu
desregramento espiritual e carnal!

Rodrigo Bórgia, de seu verdadeiro nome
vociferava contra os males do mundo,
numa Roma plena de satisfação cardinalícia.
Lá, ninguém passava as fomes do mundo e do corpo.

Alma bendita, amor de Deus, benditas sois vós mulheres
no leito nupcial e voluptuoso. Festins dionisíacos, orlados
a ouro, vinho e esperma. A carne é fraca e faz mal ao coração!

É bom recordar os tempos da imorredoira paixão dos homens.
As batinas, os véus, são apenas ritos de passagem, para o sexo
puro e duro, um sexo clerical, logo, nobre e cheio de verdade,
de espírito, de riqueza da alma.

Neste Concílio, apareceu a deslumbrante Salomé,
que espalhou a doença a todos os homens, dos ricos aos pobres,
dos efebos aos gerontes, dos Reis ao Clero.
Bendita Salomé, vítima de todas as violações e sangue derramado.
Vós fostes a virgem suprema, amada intrusa do hemisfério solar!

3 Comments:

Anonymous o freak eclipsado usou da palavra

Ai Jesus Maria José Nogueira Pinto, este poema é booooooooooooooooooom!

22 julho, 2007 00:01  
Blogger odeusdamaquina usou da palavra

É como a Sífilis: é booooooooooooa!

31 julho, 2007 12:09  
Blogger o freak inofensivo usou da palavra

Mas é que é mesmo bom, pá!

Sabias que sífilis é uma derivação da expressão "sê feliz"?

Claro que não sabias! Acabei de o inventar!

31 julho, 2007 17:56  

Enviar um comentário

<< Home