1 de junho de 2007

Aquilo Teatro da Guarda

Continuando pelo nosso país Teatral, aportamos à Cidade mais elevada do País, a Guarda, no alto dos seus 1056 metros de altitude.
A Guarda tem desde há alguns anos uma Companhia, a Aquilo Teatro, que faz a cultura da região. O grupo cresceu e desenvolveu-se com o aparecimento do Instituto Politécnico, com a criação de alguns auditórios (o da Câmara Municipal) e com os dinheiros do Ministério da Cultura. No entanto, ultimamnete não têm recebido subsídio, desconhecendo eu a razão de tal atitude. Ou por não concorrerem, ou pela diminuição da qualidade dos espectáculos. Só ambas as entidades o saberão. Também o aparecimento do Teatro Municipal da Guarda, excelente estrutura e com uma boa e regular programação, deveriam dar alento à Companhia, mas parece que foi o inverso, pois chegam ao TMG muitas produções de fora, e poucas feitas pelo Aquilo Teatro. A rever esta situação, pois a bela cidade da Guarda merece ter uma companhia a produzir continuamente. Os Egitanenses (naturais da Guarda) têm direito à cultura e a reverem-se nas suas tradições e raízes culturais que o Distrito possui.
Página do Teatro Municipal da Guarda www.tmg.com.pt
Aquilo Teatro não possui um site, mas têm um blog onde divulgam os seus espectáculos:
www.blog.comunidades.net/aquilo o último espectáculo chama-se "Rosbif de Anfíbios" e é o resultado de textos de Mário Henrique Leiria, nos seus "Contos do Gin Tónico".
Como nota de rodapé, fica aqui a divulgação de uma companhia do Distrito de Aveiro, que deveria seguir-se à Efémero, que foi referenciada na passada semana. O Grupo em causa, sedeado em Estarreja, é o ACTO - Instituto de Arte Dramática, cujo responsável é Luís Filipe Pereira. O Acto trabalha desde 1992 sob a técnica de Grotowski, a expressão do corpo e dos movimentos segundo este teórico/encenador do Teatro Laboratório com sede em Wroclav, na Polónia. No entanto, o grupo parou em Outubro passado, devido ao desgaste do projecto. Grotowski é demasiado arriscado e difícil de executar. A Companhia não acabou, está em fase de reestruturação e criação de um novo conceito e talvez um novo nome, uma nova estética. Quando reaparecerem, farei a duvulgação na hora. Até lá, podem consultar o site www.acto.com.pt
Boas consultas e bom teatro. Para a Semana descemos o país até à Covilhã, distrito de castelo Branco, onde vamos encontrar as boas e simpáticas gentes do Teatro das Beiras - GICC (Grupo de Intervenção Cultural da Covilhã).
Viva o teatro, sempre! No litoral e especialmente no interior!

4 Comments:

Blogger mao morto usou da palavra

E recentemente foi criada na cidade dos múltiplos "F" a estrutura Projéc~ (l^-se "Projéctil) - ver esta notícia

01 junho, 2007 18:56  
Blogger odeusdamaquina usou da palavra

É completamente injusto a afirmação do Director do TMG. Ignorar o Aquilo é acto de má fé e sobranceria que não lhe fica nada bem! Sei que esse senhor já participou em espectáculos no Aquilo- Como actor e Encenador- e o mal da cultura são estas dissidências e desentendimentos artísticos que passampara o planodas relações pessoais. Algo que eu repudio e não me revejo neste modo de ser artista!
Claro que ébom ter essa estrutura no TMG ena cidade,mas o Aquilo também merecia lá estar, fazer coisas, mas a pequenez dos portugueses mostra-se nestas atitudes. Por outro lado, pode ter sido o Aquilo que não quis ter nada a ver com o TMG, o que também é legítimo, isto a julgar pelos depoimentos desse senhor.
Já fiz espectáculos na Guarda, nunca no TMG (ainda não existia) e sempre fui muito bem acolhido pelo pessoal do Aquilo, sempre solícitos, conversadores e amantes do teatro. Por isso,não me esqueci deles, embora estejam votados ao ostracismo na sua própria cidade!
Não faz mal, outros dias virão e "o mundo pula e avança" e volta a mudar e girar para quem acredita no sonho,nos valores, na arte, na amizade.
Vou ficar atento a este projéctil (a ver se não serão balas a disparar inusitadamente e sem sentido, espero que não!).
Para já, a proposta dos textos do João Camilo é-me cara,porque eu próprio pretendo encenar esses textos um dia mais tarde. Já os tive quase para fazer, mas não deu. Mas valem muito a pena!

Quanto ao DOn deLillo, aconselho-te a leres "Valparaíso",o texto maior da sua dramaturgia.
Abraço!

02 junho, 2007 17:29  
Blogger mao morto usou da palavra

De Don DeLillo só volto a ler textos que tenham menos de 30 páginas.

Disse.

02 junho, 2007 19:19  
Blogger al cardoso usou da palavra

Bem haja por divulgar a minha cidade da Guarda.

Um abraco serrano.

05 junho, 2007 16:58  

Enviar um comentário

<< Home