30 de maio de 2007

"O Presidente tossicou para a sua corneta acústica e tomou a palavra pelo pescoço para a estrangular mas esta aguentou-se bem.
- Meus senhores - disse ele - e caros coadjupilos. Não insistirei na solenidade deste dia, não mais puro do que o fundo do meu coração, pois tal como eu sabeis bem que, pela primeira vez desde a chegada ao poder de uma democracia estável e independente dos compadrios políticos obscuros e da demagogia soez que mancharam a credibilidade das últimas décadas, ahn... caraças, isto aqui é difícil de ler, filho da puta de papel, o texto está todo apagado.
(...)
- É com intratável alegria - continuou o Presidente - que hoje nos orgulhamos de saudar a notável solução, imaginada pelo nosso grande coadjupilo aqui presente, Wolf, para eliminar totalmente as dificuldades resultantes de uma sobreprodução do metal de fazer as máquinas. E como não posso dizer-vos mais nada a tal respeito porque pessoalmente, como me compete, não sei absolutamente nada do que quer que seja que se trate, cedo a palavra à fanfarra que irá executar uma peça do seu repertório."
Boris Vian, A Erva Vermelha

2 Comments:

Blogger odeusdamaquina usou da palavra

E o arranca corações?
E as Formigas?
E a espuma dos dias?
Já leste?
então aplica-te!

31 maio, 2007 17:09  
Blogger mao morto usou da palavra

A espuma dos dias e O Outono em Pequim (perdoai-me oddm que pequim por não ter lido as formigas)

01 junho, 2007 11:08  

Enviar um comentário

<< Home