13 de fevereiro de 2007

Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana

A Cidade de Viana do Castelo tem um Centro Dramático, onde está sediada a Companhia de Teatro do Noroeste, que é profissional desde os anos 90. Fazem um excelente trabalho de estreita colaboração com o eixo atlântico, ou seja, a região da Galiza. Além disso, são a estrutura do Alto Minho que faz trabalho há mais tempo de um modo profissional.
Ultimamente só surgiram duas companhias: a "Comédias do Minho", uma estrutura virada para a itinerância, os espectáculos infantis, e que actua ´pelos distritos de Viana, Braga e Vila Real. A outra é uma companhia de marionetas, "Marionetas, Actores e Objectos", também de Viana, instalados num sítio pequeno, ainda com poucas condições e visibilidade suficientes. É dirigida por um casal vindo da Rússia, onde a tradição das marionetas é muito forte por essas terras do leste.
Vamos então falar um pouco mais desta Companhia de Teatro do Noroeste, que, tal como a Companhia de Teatro de Braga, utiliza um teatro lindíssimo, secular, ao bom estilo Italiano.
O Teatro é o Sá de Miranda, e tal como o Theatro Circo de Braga, sofreu grandes obras de recuperação.
O Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana é a companhia profissional de teatro de Viana do Castelo, residente no Teatro Municipal Sá de Miranda. Foi criada em Outubro de 1991, como estrutura autónoma do Centro Cultural do Alto-Minho, tendo assumido a forma independente de Cooperativa de Responsabilidade Limitada em 1993.
Presentemente preside à cooperativa Carlos Borges, que é também o responsável pela área financeira e administrativa; e é director artístico o encenador Castro Guedes. Anteriormente foi director de companhia o encenador José Martins.
Em doze anos de trabalho regular e contínuo, a companhia produziu, 70 diferentes produções, realizando um total de mais de 2.000 representações, a que assistiram perto de 280.000 espectadores.
No âmbito da sua actividade, tem o Teatro do Noroeste-Centro Dramático de Viana dedicado um particular interesse à cooperação com a Galiza e, de uma forma mais geral, com Espanha. Assim, além da organização anual, em parceria com a Câmara Municipal de Viana do Castelo, do FESTEIXO – Festival de Teatro do Eixo Atlântico desde 1996, realizou várias coproduções com o teatro galego (Teatro de Ningures, Teatro do Noroeste de Santiago de Compostela e Centro Dramático Galego) e com o Teatro del Astillero e o Centro Dramático Nacional, de Madrid, organizou o VII Congresso da ADE (Asociación de Directores de Escena de España ), promoveu vários encontros de reflexão do teatro da Galiza e de Portugal (o Teatragal – uma edição conjunta com o Instituto Galego de Estudos e Investigações Teatrais), foi um dos patrocinadores da revista "Ensaio", organizou diversas acções de formação (em particular com o encenador espanhol Guillermo Heras) e integra, com a Seiva Trupe, a Companhia de Teatro de Braga e o Centro Dramático Galego uma rede de exibição de espectáculos denominada "Caminhos Teatrais".
História do Teatro Municipal Sá de Miranda
O Teatro Sá de Miranda foi inaugurado no dia 29 de Abril de 1885. A sua construção deveu-se ao esforço de um grupo de personalidades vianenses que constituiu, em 1879, a Companhia Fomentadora Vianense com o objectivo de construir um edifício civilizador.
É um Teatro à italiana projectado por José Geraldo da Silva Sardinha com a plateia em forma de ferradura e três ordens de camarotes, com capacidade de 400 lugares.O Pano de Boca foi desenhado por Luigi Manini e pintado por Hercole Labertini, cenórgafos do Teatro S. Carlos e o tecto, uma imagem do céu em trompe l´oeil, com retratos de dramaturgos, foi pintado por João Baptista do Rio.
Este Teatro, verdadeiro ex-libris da cultura vianense e alto-minhota, tem acolhido os mais importantes espectáculos de Música, Teatro, Ópera, Dança e Cinema da região.

A Câmara Municipal adquiriu o edifício em 1985, numa altura em que a sua degradação se acentuava. Desde então tem promovido obras de beneficiação, primeiro, em 1993, dando segurança e comodidade ao público e, numa segunda fase, dotando a caixa de palco dos mais modernos equipamentos cénicos, que permitem pôr em cena os mais exigentes espectáculos.
O Teatro Municipal Sá de Miranda entra assim no ano 2000 renovando e alargando o seu papel fundamental na vida cultural vianense.
Neste momento, a Companhia tem um espectáculo em cena de 10 a 22 Fev., com o título:
“Com Pêlo do Mesmo Gato” , de Júlio Dinis, com o extra de incluir duas cenógrafas, que são minhas colegas na Esmae, as manas Catarina e Cátia Barros. A não perder!
Encenacão: Castro Guedes. Cenários e Figurinos: Cátia Barros e Catarina Barros. Interpretação: Elisabete Pinto, Ricardo Simões, Tiago Fernandes, Jorge Filgueiras , Francisca Lima, Sílvia Santos.
Local: Teatro Municipal Sá de Miranda, às 21.30 H.

Para não ser maçudo na informação, vão ao site do teatro do noroeste e lá vão poder ver mais informações sobre a companhia e todos os espectáculos que fez desde a sua criação.
Boas visitas e Bom teatro.
Para a Semana, continuaremos por terras do norte do país. Vamos a Vila Real conhecer o trabalho do Teatro do Nordeste -mais conhecida por Filandorra. Depois do Noroeste, viramos as agulhas para o Nordeste Transmontano.

2 Comments:

Blogger R2K usou da palavra

: )

13 fevereiro, 2007 17:06  
Blogger mao morto usou da palavra

Olha, olha! Não é que em 2000 o Teatro do Noroeste (vivam os pontos, os cardeais e as ceias) co-produziu uma peça com o Teatro Art`Imagem ?

17 fevereiro, 2007 17:07  

Enviar um comentário

<< Home