2 de fevereiro de 2007

Companhia de Teatro de Braga

A partir de hoje e com a ideia de uma regularidade que tentarei cumprir, vou divulgar o património das Companhias de Teatro existentes em Portugal, com destaque para aquelas que fazem o seu trabalho fora dos dois grandes centros urbanos, Lisboa e Porto.
Para começar, escolhi a CTB, que desde 1980 faz bom teatro, de amplo repertório teatral e com uma componente de formação de públicos bastante activa e eficaz, com a qualidade sempre como lema.
História da Companhia:
A CTB - Companhia de Teatro de Braga é uma estrutura profissional de produção teatral. Fundada em 1980 no Porto com a designação de CENA, radicou-se em Braga em 1984, cumprindo assim um dos seus objectivos programáticos, no âmbito de um protocolo estabelecido com a Autarquia de Braga.
A CTB está sediada no Teatro Circo (equipamento que passou por um profundo projecto de reestruturação espacial e restauro que o dotou de uma sala principal para 800 lugares; uma sala intermédia de 280 lugares e sala de ensaios / experimental de 100 lugares; zona museológica, restaurante, livraria, espaço de exposições, oficinas, 70 camarins, etc.). A reabertura ocorreu em finais de 2006.



O Director Artístico, que também é encenador e actor, é desde o início a face da Companhia, pois foi um dos fundadores da mesma. Chama-se Rui Madeira e adiante está o seu Curriculo.

Curriculum de Rui Madeira


Nasceu em Santarém.Administrador-Delegado do Teatro Circo de Braga.Actor e Encenador.Em 1980 funda no Porto, com outros elementos, a CENA, desde 1984 Companhia de Teatro de Braga.Participou como actor em peças de Brecht, Marivaux, Kateb Yacine, Shakespeare, B. Santareno, Garrett, Gunter Grass, Karl Valentin, Musset, Albee, Buchner, J. P. Sarrazac, Corneille, Gil Vicente, Strindberg, A. Patrício, M. Teixeira Gomes, Claudel, John Arden, Osborne, Ibsen, McEwan, Barrie Keefe, Tchekov, entre outros.Encenou Musset, Tourgueniev, Gil Vicente, A. Patrício, Marivaux, Garrett, K. Valentin, Robert Pinget, Paul Claudel, Almeida Garrett, John Osborne, Ibsen, Botho Strauss, Camilo Castelo Branco, Thomas Bernhard, Ian McEwan, Bertolt Brecht, Federico Garcia Lorca, Tchekov, Gorki, acaba de dirigir “Espectros” de Ibsen para o Centro Dramático Galego (Santiago de Compostela, Espanha). Integrou o Secretariado Organizador do 1º FITEI (Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica).Foi presidente do Secretariado da A.T.A.D.T. - Associação Técnica e Artística da Descentralição Teatral, em 1983/84, estrutura que englobava as 12 Companhias da descentralização.Participa regularmente como docente em acções de formação teatral e participa como actor em cinema e televisão.A convite do Ministério da Cultura integrou um Grupo de Trabalho para estudar a situação do Teatro em Portugal, em 1996.É membro do Conselho de Administração da Associação Internacional “Villes et Cinemas en Europe”.É membro da direcção da Cena Lusófona - Associação Portuguesa para o Intercâmbio Teatral entre os países de expressão oficial portuguesa.É Presidente do Conselho de Administração da Fundação Cultural Bracara Augusta.


Repertório da Companhia

92 espectáculos montados.
mais de 480 000 espectadores.
- Prémio da crítica para o melhor espaço cénico em 1982 com o espectáculo "Leôncio e Lena", de Georg Buchner.
- Medalha de Prata de Mérito Cultural 93 atribuída pela Câmara Municipal de Braga.

ACTIVIDADES NO CAMPO DA FORMAÇÃO DE PÚBLICOS:- Edição regular de textos nacionais criados para a Companhia, Actas dos Encontros, Colóquios, etc.- Edição e tradução de todos os textos dramáticos de língua estrangeira que a Companhia produz.- Projectos: Teatro-Escola-Teatro (1996/97); Públicos para o Séc. XXI (1998/99); AU! Alternativas Urbanas (2000/2001); Amadixão ou as Palavras Male-Ditas (2002/2004).

ENCONTROS DE DRAMATURGIA:Organização temática com especialistas convidados, estrangeiros e portugueses, sobre diversos temas ligados ao teatro:- 1988 - «Tradução Dramática»- 1989 - «Teatro - Cinema - Televisão»- 1997 - «Teatro Fóssil - O Teatro foi-se - O Teatro a Martelo»

ACÇÃO DIVERSIFICADA NO ÂMBITO DA ANIMAÇÃO SÓCIO-CULTURAL:- Promove debates temáticos sobre a criação artística, ciclos de cinema, exposições, colóquios; conferências, etc. - Acolhe no seu espaço outras estruturas e criadores nas áreas do teatro, música, dança, artes plásticas, fotografia, cinema/vídeo. - Mantém e dinamiza relações com dramaturgos contemporâneos e outras estruturas de criação, de cidades europeias médias, de Espanha (Galiza), Itália, Roménia, Alemanha, França) e ainda com países de língua oficial portuguesa. - Convida regularmente encenadores nacionais e estrangeiros.

PRODUÇÕES DA CTB

1980
- A CHEIA, Gunter Grass
1981
- EI LÁ! VOCÊ EXAGERA!, Karl Valentin.
- A MESA - PALAVRAS DE MULHERES, Michèle Fouche.
1982
- É PRECISO QUE UMA PORTA ESTEJA ABERTA OU FECHADA, A. Musset.
- A HISTÓRIA DO JARDIM ZOOLÓGICO, Ed. Albee.
- LEÔNCIO E LENA, G. Buchner.
1983
- SEM DINHEIRO,, Ivan Tourgueniev.
- A PROFESSORA MARGARIDA, R. Atayde.
1984
- LÁZARO, TAMBÉM ELE SONHAVA COM O ELDORADO, Jean-Pierre Sarrazac.
- DESTAMPATÓRIOS E ARREZOADOS, Textos de Cordel dos Secs. XVIII e XIX.
- A ILUSÃO CÓMICA, P. Corneille.
1985
- A INCRÍVEL HISTÓRIA DE TOMAZ PARAMIM E DO SELVAGEM RHA, L. T. Valdez.
- AUTO DA ÍNDIA, Gil Vicente.
- A MENINA JÚLIA, A. Strindberg.
- O TESOURO, Eça de Queiroz.
1986
- O FIM, António Patrício.
- Sabina Freire, M. Teixeira Gomes
1987
- Suppappos, Tacholetas, Pontapés e Etc.., Textos de cordel dos séc. XVIII e XIX
- O Preconceito Vencido, Marivaux
- Sá de Miranda - O Poeta em Cena, Organização de textos do Dr. A Domingues
- BANQUETE MEDIEVAL - O Casamento de D. João I com D. Filipa de Lencastre.,
- FANTÁSIO, A. de Musset.
1988
- COM A ARMA DE BOGART, Renato Solnado.
- FREI LUÍS DE SOUSA, Almeida Garrett.
- O TEATRO OU A VIDA, Karl Valentin.
1989
- Judeus de Gil Vicente, organização de textos de Alexandre Passos
- ARQUICOISO, Robert Pinget.
1990
- O ANÚNCIO FEITO A MARIA, Paul Claudel.
- O RAPAZ DE BRONZE, Sophia de Mello Breyner Andresen.
- A DANÇA DO SARGENTO MUSGRAVE, John Arden
1991
- A DAMA DO MAR, H. Ibsen
- MENINA E MOÇA, Bernardim Ribeiro
1992
- O TEMPO E A IRA, J. Osborne
- OS MISTÉRIOS DE CHESTER, Co-Produção da CTB com o London Theatre Ensemble, Cendrev e Seiva trupe
- A GUIA, Botho Strauss
1993
- HÁ COISAS DO DIABO!, Criado a partir da novela "O Diabinho da mão Furada" de António José da Silva (O Judeu)
- DÁMABRIGO, Barrie Keeffe
- O FIM, António Patrício
- CENAS - Dramatização de episódios do romance "Nomes de Guerra", Almada Negreiros
1994
- Ciclo de Contos Portugueses,
- O MORGADO DE FAFE EM LISBOA, Camilo Castelo Branco
- O CAVALO MÁGICO, Carlos Manuel Rodrigues
1995
- O FETICHISTA, Michel Tournier
- CONVERSA COM O HOMEM ROUPEIRO, instalação teatral de Rui Madeira
- PARALQUIMIA, Robert Pinget
- A MARIONETA (esp. Infantil), Fernando José Saraiva
1996
- LUX IN TENEBRIS, Bertolt Brecht
- O ARQUITECTO E O IMPERADOR DA ASSÍRIA, Fernando Arrabal.
- GALILEU GALILEI, Prof. Agostinho Domingues
- MATICAPÚ! Sonho numa Noite de Braga, integrado no projecto TEATRO-ESCOLA-TEATRO
1997
- PARTAGE DE MIDI, Paul Claudel
- O CIRCO FANTASIA OU O PALHAÇO TEIMOSO, Gualberto Gonçalves Silva
- ISIS TRISTE, Regina Guimarães e Saguenail
- PÓQUER NA JAMAICA, Evelyne Pieiller
- OLHO NA RUA, integrado no Projecto TEATRO-ESCOLA-TEATRO
1998
- TARTUFO OU O IMPOSTOR, Molière
- FECHEI OS OLHOS E VI, Regina Guimarães
- SOL Y SOMBRA, Federico Garcia Lorca
- A LIÇÃO, Ionesco
- CASTRO, António Ferreira
- AOS QUE NASCEREM DEPOIS DE NÓS, Brecht/Weill.
- A PIOR DAS PROFISSÕES, Boris Vian
1999
- CHAPÉUS HÁ MUITOS, Carlos Manuel Rodrigues
- A CANTORA CARECA, Ionesco
- 1 INFERNO, Steven Berkoff
- QUEM ÉS TÚ, Almeida Garrett (a partir de Frei de Luís de Sousa)
- ANTES DA REFORMA, Thomas Bernard
- Exercício/Espectáculo FALAR VERDADE A MENTIR, Almeida Garrett
2000
- ACONTECEU AMANHÃ, Dario Fo e Franca Rame
- PAPÃO E O SONHO, José Jorge Letria
- A GAIVOTA, A. Tchekov, encenação de Rui Madeira
- QUEM COME QUEM, Criação Colectiva A Escola da Noite, Companhia de Teatro de Braga e o Teatro Vila Velha, da Bahia
- Eça: A Anatomia de um caracter, baseado em textos de Eça de Queirós
2001
- A Pintura Americana, Regina Guimarães e Saguenail
- A Menina do Iô-Iô e o Caçador das Duas Cabeças, José Ananias
- Mar Revolto, Roberto Vidal Bolaño, Co-Produção CTB, Teatro Noroeste e Centro Dramático Galego
- A Moeda Falsa, Maximo Gorki
- O AMOR ASSASSINADO - Inês e Pedro - Co-Produção com a Pro-Helvetia, Hugo Loetscher
- O GRANDE PORTO DO SUL, De Mia Couto
2002
- O Doido e a Morte, Raul Brandão
- Espectros, Ibsen
- Uma Oração a Mais, Georges Astalos
- Chuva de Verão, Adaptação do Romance de Marguerite Duras
- A leitura Encenada é um Género que não faz o meu Género, Rogério Nuno Costa
- Uma Comédia na Estação, Samuel Benchetrit
2003
- Têpluquê (Espectáculo para a Infância), Manuel António Pina
- Algumas Polaróides Explícitas, Mark Ravenhill
- Cantiga para JÁ, Jean Pierre-Sarrazac
2004
- Da Vida de Komikaze, Alexei Chipenko
- A ESTALAJADEIRA, Carlo GOLDONI
- O Menino Dino, José Ananias
- A MORTE DE JUDAS, Paul Claudel
2005
- Doroteia, Nelson Rodrigues
2006
- A Vida Como Exemplo, Alexej Schipenko
- Praça de Touros, Alexej Schipenko
- Último Acto* (a Arte do Futuro)**, *Anna Langhoff **Alexej Schipenko
- Buraco, Regina Guimarães

Para finalizar, um exemplo de um espectáculo que vi, na senda do rigor e qualidade que esta companhia faz em Braga e pelo Minho em geral.
ALGUMAS POLARÓIDES EXPLÍCITASMark Ravenhill (2003)

Há hoje uma necessidade imperiosa e urgente de pôr em cena uma texto como este Polaróides Explícitas. Os motivos são muitos, diversos e, como sempre no artístico, arbitrários.
Por um lado, as "tropelias" formais e estéticas de ravenhill são magníficas, demolidoras e brilhantes. Por outro lado, a reflexão que faz, inclui de modo crú, o compromisso social, político, amoroso... Um compromisso sobre nós e sobre as "nossas pequeninas coisas"... Como é doloroso tornar-se adulto... E outros temas que são sempre desafios fortes em cena. Polaróides Explícitas, capta como muito poucos textos, de forma intangível, esta atmosfera, este desassossego, esta falta de referências éticas que possam dar sentido ao mundo e à vida.

Já sabem: sempre que passarem por Braga, não deixem de ir ao Theatro Circo, pois além do Teatro, há programação regular e de grande qualidade nos vários espaços do Theatro.
Para conhecerem mais e melhor a Companhia de Teatro de Braga vão a www.ctb.pt



5 Comments:

Blogger RPM usou da palavra

"Já sabem: sempre que passarem por Braga, não deixem de ir ao Theatro Circo, pois além do Teatro, há programação regular e de grande qualidade nos vários espaços do Theatro."

programação regular...sim, realmente...em 2004, 4 espectáculos, 2005 - 1 espectáculo, 2006 4 espectáculos...isto é regular....

boa, boa

parabéns e dizem que há dinheiro para os outros.

abraço

RPM

05 fevereiro, 2007 15:42  
Blogger mao morto usou da palavra

Rui Pedro Matos:

Diz-se que não devemos pegar nas aspas das outras pessoas, mas vou abrir, entre aspas, uma excepção.

"... em 2004, 4 espectáculos, 2005 - 1 espectáculo, 2006 4 espectáculos..."

Isso são as produções da CTB. A programação do Theatro Circo é bem mais vasta que isso; não se resume às produções da CTB, órraite?

Atenciosamente e assim,
Jo... hã, Língua Turva

05 fevereiro, 2007 16:29  
Blogger odeusdamaquina usou da palavra

E o problema é que o Theatro Circo só abriu em Outubro de 2006!
Até lá, o espaço esteve em obras de restauro, durante cerca de 8 anos!
Desde que abriu, efectivamente têm existido espectáculos todos os fins-de-semana!
Há quem goste mesmo da má-língua!
Neste país temos que todos primeiro estudar as coisas e dizer mal depois, porque senão incorremos em erros, porque não fomos ao fundo das questões.

05 fevereiro, 2007 20:24  
Blogger odeusdamaquina usou da palavra

Já agora, para ver toda a programação vão a
www.theatrocirco.com
ou ao site da Câmara Municipal Braga ou ao theatrocirco.blogspot.com

05 fevereiro, 2007 20:31  
Blogger RPM usou da palavra

esta gente tem mania da má língua....

aprende-se com a SIC...noite da má língua. Um p'ograma que deu muito para falar...

abraço

RPM

05 fevereiro, 2007 21:50  

Enviar um comentário

<< Home