1 de dezembro de 2006

Carta a Língua Morta (ou Mao Zedong)


Nova Lisboa, 13 de Outubro de 2006



Caro Mao Zedong

Espero que ao receberes esta carta te encontres bem de saúde já que a saúde deste país anda a ser maltratada pelos senhores do regime.
Soube que tinhas sido colocado em São Tomé e Príncipe. Isso é muito longe ou dá para ir e vir todos os dias? Isto agora com as estradas que temos é uma maravilha. Temos de agradecer ao senhor de Boliqueime. Se decidires ficar aí podes arrendar um quarto numa cave de uma Miss Pity qualquer. Também fui informado pela Stasi que andas envolvido em altos projectos. Sei que a parada gay que organizaste em Tel-Aviv para rabis e padres presbiterianos correu muito bem. O sucesso foi tal que foste contactado pelo Vaticano para organizar o desfile do papa em Ankara. Também me chegou aos ouvidos que estavas a pensar preparar uma Revolução Cultural na ilha de Príncipe para quebrar o marasmo e a rotina diária. Se correr bem podes depois fazer um scale-up para a ilha de São Tomé ou quiçá alargar a toda a Micronésia e Polinésia francesas. Fica a sugestão.
É verdade. Vi o Adolf na zona da restauração do Fórum a comer cornichons em conserva e a falar sozinho num dialecto da Alsácia –Lorena. Perguntou por ti. Disse-me que nunca mais te viu depois daquela cena sado-maso que vocês tiveram. Pediu-me que te dissesse que afinal a verdade não estava na Der –Spiegel como ele desconfiava mas estava no pneu suplente de Trabant azul com um bandeira da DDR orgulhosamente colocada no tablier… O recado está entregue.
Também vi um cão em Pripiat com três pernas.

Pára com isso porque os raptores de crianças andam aí.


PS: Notícia de última hora. O Estado Português da Índia foi invadido pelo Exército da União Indiana. Morte a Nehru. Viva o Estado Novo.


Atenciosamente,


Vladivostok

2 Comments:

Blogger mao morto usou da palavra

Vlad, já to disse: isso da cena sado-maso foi uma empolação.

Sim, empolação.
O Adolf apenas me disse, depois de ler a Der Spiegel: "Bate-me", ao que retorqui: "Não bato". Foi apenas isso. E todos sabemos que a verdade está na Der Spiegel: "E o que é negro no teu jornal (tu sabe-lo), é branco no meu jornal (nós sabemo-lo)".

Mudando de assunto: sabes que, do mesmo modo que dá sorte colher um trevo de quatro folhas, também traz fortuna colher um cão de três patas? Quando voltares a ver um, nantesqueças.

Vai dando novidades. Faz ver.

04 dezembro, 2006 16:13  
Anonymous ddm usou da palavra

Caro Mau!
Espero que apareças por terras da Inbicta, vulgo Porto, pois precisamos de ti para dar cabo de um presidente de câmara facínora. Que tal mandá-lo ao Rio Douro, depois de ter sido empalado?

Sem mais, agradeço, esperando o teu deferimento!
Atentamente, ddm!

04 dezembro, 2006 18:41  

Enviar um comentário

<< Home