22 de junho de 2006

Vida Completa

Os ossos carcomidos
A mente inquieta
O terno olhar da sabedoria
O luxo de te encontrar com esse sorriso

E eu, que me comovo por tudo e por nada
Socorro-me de ti nas horas amargas
Dás-me a paz e a alegria
De aprender com essa vida

O gosto pela fé, pela dúvida metódica,
Pela frieza ancestral de quem já sofreu e
Trabalhou muito nesse Alentejo infernal

Pelo contrário, na Beira Serra fria, com
os pés descalços e quilómetros por percorrer
Aprendeste a dureza, o calo, e só a neve e
os animais eram tua companhia

Chegaste agora, neste dia de estio
o Dia maior, a Noite mais curta
És solstício, És aparição,
És romper d'aurora

És noite inquieta
e uma vida completa!
(À minha avó, que faz hoje 95 anos)

2 Comments:

Blogger al cardoso usou da palavra

Os meus parabens a tua avo, que chegue pelo menos aos 100, sao os meus votos.

24 junho, 2006 07:29  
Blogger mao morto usou da palavra

Cantavam Joane e o Amendoim Saltitante, mitos vivos de Coimbra, no "Fado da Avó":

"Eu gosto muito da avó
Com batatas
E feijões
"Eu gosto muito da minha avó
Com batatas
E feijões
Um dia vou levar a minha avó
Numa viagem
Ao meu estômago
Um dia vou levar a minha avó
Numa viagem maravilhosa
Ao meu estômago"

(A minha tem quase 93)

25 junho, 2006 15:23  

Enviar um comentário

<< Home