29 de junho de 2006

sonhar é sonhar é sonhar

Foi uma carnificina que não aconteceu, logo explicada à luz do filme-do-mês primeiro e de Brecht-o-do-distanciamento depois, quando apenas um pesadelo foi sonhado na noite de borrasca, acordei a ouvir o bater da chuva no telhado e os trovões ribombavam ao longe despertei e mantive cada detalhe na minha memória e nenhum Freud - verdadeiro ou de ocasião – precisou de me explicar o sucedido, por assim dizer, Müller sonhava com gládios e mulheres mortas, eu sonhei com mutilações realizadas com precisão clínica sem quaisquer pruridos,
num dos seus sonhos-poema, Müller, enquanto caminhava por uma floresta, conseguiu ver na criança que lhe surgiu e lhe fez sinal de morrer o seu próprio rosto, o meu rosto olhou-me a criança era eu, disse
os sonhos são como a família não se escolhem, são aqueles e não outros, quando era novo infligi a mim mesmo um corte no braço e na nuca em frente aos meus amigos na mesa de café, não doía, a lata de sumo retorcida apenas um risco avermelhado, demorou uns dias a cicatrizar e eles a aparentarem normalidade nas reacções, como fiz – fizemos! – poucos anos depois quando o Adolf, assim o chamávamos com despudor, se levantou e tentou cortar-se em plena aula com uma faca das cantinas, nada lhe aconteceu, apenas um gesto algures entre a pequena tragédia e a comédia esforçada, gracejámos com o sucedido, alguém lhe rebuscou o quarto e encontrou aqueles escritos desconexos na sua letra quase indecifrável, falava de si na terceira pessoa, já se imaginava a falar com enfermeiras, virei a cara para o lado quando o vi poucas horas depois à porta de casa, como se houvera visto um fantasma, virei a cara para o outro lado e nesse lado não vi a sua expressão de sempre, entre a estranheza e a angústia velada, dias depois, enquanto ele folheava o Der Spiegel, perguntámos-lhe estás melhor e ele sim a sorrir desajeitadamente e voltámos a ouvir-lhe a célebre frase Os políticos são todos uns merrrdas! E a vida lá prosseguiu, o tempo não suspendeu o seu curso, como anos antes, isto anda para a frente e para trás, anos antes de novo no liceu, quando nos juntávamos nos intervalos naquela esquina daquele bloco, naqueles nadas com que nos cruzamos na juventude, usávamos botas de pedreiro e camisas de flanela com que dizíamos a toda a gente de boca fechada nós temos ideais, nós ainda temos ideais, só não sabemos muito bem quais são, mas quando formos mais velhos e os não tivermos saberemos do que se tratava afinal, ouvíamos música grunge e, sem sabermos muito bem porquê, ganhámos um porta-voz para a nossa revolta de adolescente que por ali pairava, por essa altura voltei a ser criança quando ela morreu num acidente de automóvel, já pouco nos falávamos mas nessa tarde à porta de casa pus-me a chutar a bola contra a parede repetidamente até que desatei a chorar, chorava pontapeando a bola, nessa tarde as minhas lágrimas e o meu ranho foram para ela,
-Mija! Mija!
Dois anos antes tínhamos sido colegas de turma e de mesa, brincando disse ao professor que se não podia ir à casa de banho ia fazer mesmo ali, houve risos pela sala, e ela pouco depois
-Mija!
Entre trocas de sorrisos
Alguém perguntava então ele já fez, eu nem estava para isso, mas pouco depois, mantendo-me sentado, cheguei-me à frente e discretamente fi-lo, o professor só soube dias depois, o feito heróico da semana

suponho que nesses dias tenhamos crescido mais rapidamente do que o desejável, naquela cidade-vila pequena como um ovo, daqueles em que temos de cortar várias rodelas até alcançarmos o amarelo da gema.

4 Comments:

Blogger vareta usou da palavra

Brindo à tua com Aldeia Velha, se me permites. Completamente Aldeia Velha: "É cá dos nossos!".

És cá dos nossos. Ou eu serei aí dos teus.

És grande.

30 junho, 2006 07:00  
Blogger O Micróbio II usou da palavra

é sonhar... :-)

30 junho, 2006 14:54  
Blogger al cardoso usou da palavra

Outro grande texto como ja nos tens habituado.

Bom sabado, Viva Portugal.

01 julho, 2006 09:05  
Anonymous vladivostok usou da palavra

A verdade está na Der Spiegel.A verdade está na Der Spiegel.A verdade está na Der Spiegel.A verdade está na Der Spiegel.A verdade está na Der Spiegel.A verdade está na Der Spiegel...

26 julho, 2006 14:49  

Enviar um comentário

<< Home